segunda-feira, 30 de março de 2009

Lama

Qndo a vida parece calma e que vc retomou o controle da situação. Sim, foram momentos de confusão, desacertos e desencontros. Mudou tudo de lugar, como uma enchente furiosa, que carrega as coisas mais pesadas, deixa tudo coberto de lama e entulhos.
Vc caminha com passos leves, para não turvar a água que ainda restou com a areia que se prosta no fundo.
Calma é preciso. Os cuidados necessários foram tomados e a limpeza é iniciada.
Após um tempo, tudo parece limpo, água límpida tb, e a paisagem parece voltar a ser o paraíso que sempre se perseguiu.
Mas não passa de ilusão. A limpeza não foi completa. Basta um salto e vc percebe que ainda resta lama sob seus pés e um movimento menos calculado é suficiente para sacudir essa lama e sujar tudo novamente.
São as peças que a vida nos prega, as armadilhas do amor mal resolvido, que tomou as formas de bem resolvido e vc acreditou nessa ilusão. É só tropeçar que vc sente esse resquicio no seu rosto, escorrendo até a boca, trazendo o gosto amargo do que ficou e apodreceu depois de tanto tempo.
A visão turva, vc se acha perdido, fracassado, por estar obrigado a encarar tudo de novo. Mas não dá pra agir agora. Não nesse momento em que pouco se enxerga.
É preciso deixar a lama sentar de novo e recomeçar a limpeza, com a esperança que dessa vez fique tudo claro, calmo e limpo como vc achou que estivesse.

Um comentário:

Nêssa disse...

Nossa! Muito bom o texto!